Futsal de Primeira

Futsal PR: Torcida deixa de lado a frustração e acredita em bom ano para o Marreco

19 de março de 2019 às 18:00:22


O título da Supercopa não veio, mas a torcida do Marreco Futsal demonstra que gostou do que viu nas partidas disputadas no Ginásio Arrudão, dias 14 e 16 de março. A vitória sobre o Pato Futsal, na semifinal, por 3 a 1, deu confiança. E, embora tenha surgido a frustração na derrota por 4 a 2 para o Corinthians na final, muitos torcedores têm boas perspectivas para esta temporada.
As amigas Daniele Scotti, Natieli e Luciane Santos assistiram juntas ao jogo de sábado. Daniele disse que estava acreditando no título, mas admite que ocorreu algum descuido no final. Porém, ela vai continuar torcendo sempre, “não desanimo, na hora do jogo, a emoção bate”.


Luciane estava confiante: “Eu me emociono muito e torço bastante, estava com fé, porque eles ganharam do Pato, podiam ganhar do Corinthians também, o problema foi nos últimos minutos. Mas a gente veste a camisa, vou continuar torcendo sempre”.


Já a torcedora Dely Vecisnki Bizolo vai mais longe. Primeiro, ela afirma que saiu do ginásio “de cabeça erguida”, porque o Marreco jogou bem. “Eu sabia da qualidade do Corinthians, mas o Marreco jogou de igual pra igual, foi grandioso, foi guerreiro”, declara.


Ela se diz fã do Marreco e acredita que 2019 vai ser um grande ano. Para Dely, a base do time, com destaque para Sinoê, Fabiano Assad e Pedro Rei, é muito boa: “Quando eles estão na quadra, os adversários respeitam”.


Bruno Gabriel Thomazoni lembra que existe pressão porque o arquirrival, Pato Futsal, ganhou muitos títulos em 2018. “Achei que a gente ia finalmente ganhar um campeonato. Tenho a impressão que, com o Pato ganhando tudo, aumenta a pressão. Parece que é um time que tem medo de ser campeão, porque vai bem, ataca e, do nada, para. Também foi um jogo difícil, com o Corinthians, que tem camisa de peso”, opina Bruno Gabriel, que assistiu ao jogo em casa, com o pai, Bruno Luís.

Bruno Gabriel Thomazoni: "Foi um jogo difícil".


“Vontade” é palavra de ordem
Vários dos torcedores que conversaram com o JdeB usaram a palavra “vontade” para elogiar o time. “Muito frustrante a derrota, porém, este ano vêm canecos, eu tenho certeza. Grupo forte, muita vontade”, disse Laures Francisco Cieslik.


“Apesar de mais um título ter escapado, esse grupo, com a vontade que a equipe toda demonstrou durante os dois jogos da Supercopa, tem tudo pra ir bem nos campeonatos que vai disputar. E sim, este ano títulos virão, eu acredito”, declara Fábio Girardello.


Jonas Silva: “A gente fica um pouco chateado, mas eu gostei do time. Dava pra de ter pressionado mais quando o Corinthians estava estourado em faltas. No segundo tempo, a equipe recuou demais e perdeu muitos gols que poderiam ter definido o jogo. Mesmo assim, o grupo demonstrou vontade e qualidade, podemos ter um bom ano”.

Para Fábio Girardello, o Marreco “tem 
tudo pra ir bem”.

Ano do Marreco
“Este é o ano do Marreco”, na visão do radialista Silva Junior. Ele reside atualmente em Videira (SC) e acompanhou a final pela TV. Apesar da derrota, o desempenho do time do coração deixou Silva esperançoso: “O Marreco está melhor que em temporadas passadas, quando chegava a dar um frio na espinha no início do ano. Perdeu pro melhor elenco do futsal brasileiro, foi superior ao Corinthians em vários períodos do jogo, mas faltou experiência pra administrar o final da partida e aí ficamos com a pecha de mais um vice”.


Outro otimista é Alari Navarini, de Marmeleiro, que levou o sogro para acompanhar a decisão no Arrudão. O resultado esperado não veio, mas, segundo ele, “com certeza teremos um título este ano”. “O Marreco evoluiu muito do ano passado para agora, mas não souberam controlar o jogo. Nada que não possa melhorar”, completa Alari.

Jonas Silva e a noiva, Karine Rosa, não perdem um jogo do Marreco Futsal.

Estreia na Ouro
No próximo sábado, o Marreco Futsal já volta às quadras, na estreia do Campeonato Paranaense Série Ouro, contra o Paranavaí, às 20h30, no Arrudão. Em abril, também iniciam os jogos da Liga Nacional e da Copa do Brasil. Isso sem contar a Copa Chopinzinho, em que defende o título com a equipe sub-20. 


Fonte: Jornal de Beltrão / Colaboração de Alexandre Bággio, Aline Leonardo, Ivo Pegoraro, Leandra Francischett e Leandro Czerniaski.

Compartilhar notícia
Futsal de Primeira informa: .