Futsal de Primeira

Futsal SC: Rudi revela aprendizado no pior momento da carreira

03 de junho de 2020 às 17:14:07


Ala do Blumenau conta um pouco da intimidade, além da carreira ligada ao futsal catarinense

Rudi tem apenas 24 anos e uma carreira, até agora, toda ela realizada no futsal catarinense. Natural de Blumenau/SC, só não defendeu o time que dá nome a cidade natal em 2017, quando atuou pelo Joaçaba.

A experiência adquirida dentro de quadra poderia ser maior senão tivesse ficado quase dois anos afastado por uma lesão seríssima na temporada 2018. Uma partida contra a Copagril, de Marechal Rondon, terminou com uma péssima lembrança, mas que o jogador faz questão de enxergar o lado positivo.

“São momentos difíceis para qualquer atleta e muitos podem até mesmo se perguntar, será que tem algum aprendizado mesmo nisso? E a minha resposta pessoal é que sempre tem, pois somos eternos aprendizes”, explica.

Também no Paraná, aconteceu o jogo que traz a melhor recordação do ala. Uma partida contra o Marreco, fora de casa, no mesmo ano da lesão.

“A torcida deles empurra o time do começo ao fim e naquela partida fui feliz em marcar 3 gols e ajudar a nossa equipe a sair com a vitória”, recorda.

Para saber mais da vida de Rudi, acompanhe o bate papo abaixo com o jogador que espera voltar logo a jogar para não perder mais tempo da curta e exitosa carreira dentro das quadras.

Curiosidades de Rudi

Lugar mais bonito que conheceu: Fica até difícil definir apenas um local, já que moramos no Brasil, um país paradisíaco e cheio de belezas. Mas acredito que seja uma das minhas últimas viagens junto com a minha namorada e familiares para Florianópolis, na praia do Forte, localizada próxima a Jurerê. Fica a dica para quem gosta de praia. Acredito que pelo fato de ser uma praia um pouco mais reservada e ter uma grande preservação natural, ela se torne tão bonita, além de ter um belo pôr do sol.

Música e cantor/grupo favorito: Pagode, sertanejo, algumas músicas internacionais, definindo um gosto bastante eclético (risos). Thiaguinho, Ferrugem, Dilsinho, Gustavo Lima são alguns nomes que gosto de ouvir.

Comida favorita: Churrasco, de preferência em casa com a família e amigos.

Hobby: Leitura, filmes e assistir a variados esportes.

Jogo para esquecer: Acredito que esquecer não seja a palavra-chave, pois em cada partida podemos tirar aprendizados e conhecimentos. Tendo noção disso, acredito que a partida contra Marechal Rondon, também em 2018, só que pelos Playoffs, foi muito marcante para mim, já que naquele dia tive a pior lesão da minha carreira. Posteriormente necessitei de duas operações no joelho e mais de 19 meses de afastamento das quadras. São momentos difíceis para qualquer atleta e muitos podem até mesmo se perguntar, será que tem algum aprendizado mesmo nisso? E a minha resposta pessoal é que sempre se tem, pois somos eternos aprendizes, basta entendermos o momento e sugarmos tudo que tem de positivo. Deus é bom.

Título: Jogos Abertos de Santa Catarina 2019, é uma competição importante para o clube e, também para a cidade, que não o conquistava fazia mais de 20 anos, e por toda a dificuldade que a equipe teve durante o ano..

Sonho atual: Ser o melhor atleta e pessoa que eu puder.

Sonho de criança: Ser jogador de futsal.

Fonte: João Paulo Fontoura – LNF / Foto: José Delmo Menezes Jr

Compartilhar notícia
Futsal de Primeira informa: .