Futsal de Primeira

MUNDO: Jimbee Cartagena vence ElPozo Murcia na primeira partida da final

15 de junho de 2024 às 16:08:36


Os cartagenenses, com um Chemi estratosférico, resistem em Múrcia contra o ElPozo para somar o primeiro ponto da última eliminatória da Liga.

Na preparação para o primeiro jogo da final da Liga Futsal, Pablo Ramírez profetizou no AS sobre o que seria um fator chave. “Temos Chemi, que é um dos melhores guarda-redes do mundo e confiamos nele”, disse o jogador do Jimbee Cartagena. Horas depois, o guarda-redes apontado por Ramírez protagonizou uma atuação estratosférica da equipa de Cartagena ao vencer o ElPozo Murcia (1-2) no jogo de abertura da final da Liga, deixando assim o Jimbee a mais duas vitórias da primeira Liga da sua história. O Palácio Desportivo de Múrcia, com 7.000 adeptos a desfrutar de um histórico derby regional, ficou congelado após as mil e uma paragens de um Chemi intransitável.

O aroma em Múrcia era de um grande encontro, com ElPozo e Cartagena encontrando-se novamente na final da Liga 18 anos depois. E o nervosismo era palpável: os primeiros minutos da eliminatória foram cheios de imprecisões, chances que foram para o limbo e muito respeito entre duas equipas que se conhecem muito bem (foi a quinta vez nesta temporada que se enfrentaram , com duas vitórias para cada). Porém, nesses minutos iniciais já vimos qual seria o tom da partida, com Chemi repelindo cada ofensiva murciana e os homens de Duda tentando sair rapidamente em direção ao golo local. Jimbee errou na quinta falta a quase 10 minutos para o final do primeiro tempo e, à beira do intervalo, ElPozo obteve o tão esperado livre de 10m.

A partir dos 10 metros pretendiam mudar o rumo da final, mas o que veio a seguir foi uma série de acontecimentos dignos de um roteirista muito distorcido. Gadeia acertou na trave, Cartagena recuperou a posse de bola e, cinco segundos antes do intervalo, Mellado marcou de pé esquerdo para colocar o Jimbee na frente na passagem pelo vestiário. Pablo Ramírez previu que Chemi seria importante e também acertou onde iriam brilhar. “Priorizamos a defesa, que considero um dos nossos pontos fortes e numa final é essencial”, explicou. Dito e feito, os cartagenenses ofereceram resistência estoica no segundo tempo, resistindo a inúmeras chegadas de ElPozo.

O que não limpou a defesa do Cartagena foi repelido por Chemi, gigante no segundo tempo. Os locais não pararam de tentar e também acertaram mais duas vezes na trave, até que, aos 31 minutos, aproveitaram uma para fazer um dois contra o guarda-redes e não perdoaram. Gadeia, muito generoso, deu assistência para Bruno Taffy, que empurrou à vontade para empatar o jogo. Parecia que seria o ponto de viragem do jogo e que o ElPozo, estimulado pelos seus adeptos, não demoraria muito a encontrar o segundo. Porém, esses planos foram frustrados a cinco minutos do final por Lucão, que numa tremenda jogada individual, completou uma bicicleta com o pé esquerdo que surpreendeu Juanjo.

Novo balde de água fria para o Palácio Desportivo de Múrcia. ElPozo jogou os últimos cinco minutos de 5x4, e a verdade é que regularmente encontrava brechas na defesa de um Jimbee que se defendia com unhas e dentes. Mas o crédito quase exclusivo desta resistência final coube a Chemi, que com praticamente uma dezena de paragens durante a inferioridade conseguiu garantir o triunfo da equipa de Cartagena. Não sem um último susto: Rafa Santos colocou a bola na baliza, mas o golo não contou porque o pontapé saiu décimos de segundo depois de soar a buzina. É difícil encontrar um desfecho mais dramático, podendo faltar mais quatro jogos para esta final. Para já, na segunda-feira, também em Múrcia, será disputado o segundo jogo de uma eliminatória que começou em grande e com Chemi como MVP claro.

Fonte: Zona Técnica Futsal

 

Compartilhar notícia
Futsal de Primeira informa: .