Futsal de Primeira

SP: Goleiro reserva brilha, pega dois pênaltis, e Barão é campeão da Copa LPF

11 de julho de 2021 às 09:15:10


Time de Ribeirão Preto levanta a taça em Barueri após empate por 3 a 3 no jogo

Barão é o campeão da Copa LPF 2021. A equipe de Ribeirão Preto venceu o Dracena nos pênaltis e coroou o início do projeto no futsal profissional. Brilhou a estrela do goleiro reserva Bezim, que defendeu duas cobranças. O duelo no Ginásio José Corrêa, em Barueri, na tarde deste sábado (10), foi decidido nas penalidades após empate por 3 a 3 no tempo normal e nada de gol na prorrogação.

Esse foi apenas o segundo campeonato estadual oficial com a presença dos ribeirão-pretanos. A estreia se deu no ano passado, com a equipe semifinalista da Liga Paulista de Futsal. Outros heróis da primeira conquista foram o pivô Beto (autor de um gol na final e artilheiro do certame com 14) e Neguinho (que fez dois em Barueri, um deles evitando o título dracenense, a 31 segundos do fim do tempo normal).

Ao Dracena, ficou o gosto amargo, de ter tocado no troféu após virar o placar de 2 a 0 para 3 a 2, mas não conseguido segurar o resultado e o título. Destaque para as boas atuações de Vitinho (dono de dois gols na decisão e 10 no torneio) e do goleiro Léo (que fez muitos milagres, entre eles duas defesas em tiros livres diretos). Esse foi o segundo vice-campeonato da Copa LPF do time. Em 2017, ainda com o nome de Copa Paulista, os dracenenses caíram para o Taubaté.

O jogo

Na etapa inicial, as principais emoções e as comemorações ficaram para os últimos três minutos. Beto roubou a bola no meio da quadra e, em três toques de atletas diferentes, o Barão criou uma jogada rápida, concluída com sucesso por Neguinho: 1 a 0. No lance seguinte, o artilheiro da Copa LPF ampliou. Beto recebeu de costas, marcado por Paulo Victor, tocou rápido de lado e pegou na frente, apenas para empurrar ao gol vazio.

Com seu pivô, o Barão seguiu incomodando a defesa dracenense, mas não conseguiu evitar a diminuição no placar ainda no primeiro tempo. Paulo Victor teve liberdade, serviu Vitinho, que virou diante da marcação e finalizou no cantinho, cruzado: 2 a 1. O empate veio com sete jogados no segundo tempo. Vitinho recebeu no meio da quadra, disparou com a bola, limpou o goleiro e, com muita frieza, fez seu segundo na partida.

Ainda na metade da etapa complementar, Beto quase recolocou o Barão em vantagem, mas Léo levou a melhor nas duas oportunidades. Primeiro, em um contra-ataque de dois contra um. O pivô chutou, o goleiro espalmou, e a bola bateu na trave. Na sequência, ele pegou de primeira após belo lançamento, e a bola ia passando por baixo das pernas do arqueiro, que deu um toque sutil e mandou pela linha de fundo.

Não faz lá... Em uma cobrança de tiro de canto a sete do fim, o Dracena virou. Paulo Victor cruzou na direção de Vitinho, e a bola pegou nas costas de Ivan. Gol contra. Precisando pelo menos do empate para forçar a prorrogação, o Barão se lançou e deu espaços, um deles quase aproveitado por Juninho. O ala dracenense acertou a trave ao tentar deslocar o goleiro Bim.

Léo voltou a brilhar nos minutos finais. Paulo Victor fez a sexta falta coletiva e colocou o adversário na linha do tiro livre direto. Beto cobrou sem muita força, rasteiro, no centro, e o goleiro dracenense defendeu. Depois, em finalização à queima-roupa, o arqueiro salvou com a mão esquerda.

Beto teve mais duas chances, também defendidas pela muralha da Cidade Milagre. Parecia que nada mais passaria pela meta dracenense, até Neguinho acertar um chutaço, a 31 segundos do fim, fazer o 3 a 3 e levar o duelo ao tempo extra.

Na primeira metade da prorrogação, apenas duas chances de perigo foram criadas, as duas pelos dracenenses. Em uma tabela, Vitinho serviu Juninho, e Bim fechou bem o ângulo. Depois, foi Vitinho quem parou, cara a cara, no goleiro ribeirão-pretano.

Na segunda metade, a dinâmica se inverteu. Duas oportunidades foram criadas pelo Barão. Léo defendeu seu segundo tiro livre direto, desta vez cobrado por Neguinho, e quando Beto venceu o arqueiro, dando um totozinho por cima, Juninho apareceu e tirou a bola quase em cima da linha.

Os pênaltis

Dracena 1 x 0 Barão: gol de Paulo Victor

Dracena 1 x 1 Barão: gol de Felipe

Dracena 1 x 1 Barão: Bezim pega a cobrança de Rato

Dracena 1 x 2 Barão: gol de Alissinho

Dracena 2 x 2 Barão: gol de Gugu

Dracena 2 x 3 Barão: gol de Pidaia

Dracena 2 x 3 Barão: Bezim pega a cobrança de Oitomeia

Dracena 2 x 4 Barão: gol de Ivan

Fonte: João Paulo Tilio — Barueri, SP – Redação GE

Compartilhar notícia
Futsal de Primeira informa: .